<BODY ><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://draft.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d22473777\x26blogName\x3dQue+Tenhas+Teu+Corpo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://quetenhasteucorpo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://quetenhasteucorpo.blogspot.com/\x26vt\x3d1140292415204065575', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
 
   Index






Design by
Gustavo Eólico
2005-2006




Habeas Corpus
-
Que tenhas teu Corpo
SOBRE ATITUDES

credito na força do ato, uma bandeira muito pouco hasteada entre meus pretéritos, porém uma flâmula muito admirada nos horizontes cheios de amigos de verdade.

E amigos serão todos aqueles que se vangloriarem de estender a alma nos fatos, e com isso dizer que teve uma história vigorosa e cheias de estacas, de fincadas teorias como sementes sacolejantes e mágicas, plantadas nos olhos de muitos companheiros com o mesmo ímpeto e continuidade, arando as dificuldades para cultivar os mastros espirituais que qualquer conceito precisa, a força do ato.

Em uma sociedade onde reside a covardia alastrando-se nas covas dos alarmes cada vez mais cancerígenos, explodindo aqui e ali e deflagrando guerras contra qualquer pequeno inimigo da mesma maneira que se promete assustar os fortes, nós devemos ter bem declarado nossos terrenos de ação, e neles, espetarmos os decidos conceitos que nos emblemam, para dominarmos a lua que for ou simplesmente o coração satélite que nos embala nas noites cheias de tantas intocáveis estrelas.

E serão os atos que nos farão homens de verdade, e não o pontencial envaidecedor, tão presente nos lastros maliciosos das propagandas que vigoram flamejantes nos mais altos edifícios das exigências, trancando a grande maioria no raso bueiro da inércia e desejando ser tão alto como figuram suas estrelas conceituais lá no alto de uma estrutura nada humana, que só serve como um mastro de mentiras, adjetivando ao exigir, classificando ao triar, os tantos homens que suspeitam e por assim ser acabam minando seu próprio chão de paz, fazendo de seus domínios certos um locus beli, incendiados pelo fogo de artifício que é o sol mentiroso do perfeccionismo, da juventude borbulhante ou mesmo da glória plena. Todos esses tantos um governo de fracos que sabem ter o ato como amigo, e fazem dos seus inimigos - os homens de atitudes - um deserto arado pelo alarmismo deflagrado naqueles que não tem o coração como bandeira, e sim um eco contínuo e contra a fé dizendo: "tome cuidado".



8:23 PM



EXPIRITO

osso tentar entender todas as coisas do universo, posso mudar os meus conceitos a respeito dos outros, e até mesmo avançar com muitas empresas pessoais sendo íntimas ou não, porém, não tenho como mudar o eixo sem saber por onde passará a roda.

Meu espírito está todo magoado por seguir os caminhos comuns o qual venho lhe submetendo, mesmo sendo eu, uma pessoa tão interna aos núcleos de comportamento mais entendidos sobre a liberdade e justiça, meus atos contrapõem-se às admirações filosóficas, e eu termino por trair meus maiores conceitos, advindos de exemplos e conclusões para lá de imperativas.

Eu continuei no erro por muito tempo, e esses dias vi que não posso me permitir mais, vou fazer um grande sacrifício e colocar a roda certa para os meus movimentos serem coerentes à firmeza do meu carro,e para tanto, vou precisar mudar meu caminho espiritual tão pedregoso, como é hoje os ambientes familiares e sociais os quais vivo, onde a mentira e a opressão imperam, numa hipocrisia reinante e sem sentido de ser.

Vou fazer uma viagem de destrutividades, principalmente no vencer de pequenos e específicos paradigmas sobre minhas limitações e abrangências, o transceder será agora descobrir meus limiares, e justamente nesse passo é que abandono o planejanismo das rotas e também a energização para as largadas.

Meu espírito deixou tudo para trás, e clama agora por um caminho sem atribulações, visto que todos os preceitos foram onerosos e por fim, vazios, e nesse tanto triste, termino confiante que a melhor maneira é tratar com dissolvência essa massa inútil que é minha estrutura tão expirada de energia.



Viajarei por algum tempo, sem previsão de quando voltarei, mas sei que continuarei de onde estiver a pensar e dizer o que mais me importa, porque receber da vida é fazer fluir, e não reservar.
6:33 AM




Dê a outra face, repouse em conflitos
e ande sobre mares revoltos.
Eis a Liberdade.