<BODY ><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d22473777\x26blogName\x3dQue+Tenhas+Teu+Corpo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://quetenhasteucorpo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://quetenhasteucorpo.blogspot.com/\x26vt\x3d1140292415204065575', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
 
   Index






Design by
Gustavo Eólico
2005-2006




Habeas Corpus
-
Que tenhas teu Corpo
SOBRE PÁSSAROS AÍ

ntão todo mundo se uniu na grande comemoração, à beira do galho mais alto no castelo-árvore onde moram todos os Libertos, tratava-se de um evento mais que especial, o mais novo coração de asas daria seu primeiro vôo, e, todos ali se reuniram para testemunhar o passo mais que ousado ao imenso vazio da vida, e arremessou-se aquele sentimento pleiteado por todos os peitos que respiram, arremessou-se com os olhos fechados, com as mãos cheias de fotos admiráveis. Pelos sentimentos humanos é que todos os pássaros aprendem a voar, e ele foi, observado por todos os outros corações que já conheciam os homens por dentro, havia sorrisos e lágrimas, pois mais um sonho estava perto de nascer, enroscado em nuvens provocadas pelo olhar do sol e a face do mar, pela natureza apostada das montanhas e de tudo mais que se faz inspirador, porque atrever-se no céu é beber azul, e mais azul, e quase antes de morrer no chão, suas asas fizeram justiça à tradição herdada, e, voou sem saber como parar, tão misterioso quanto o tamanho de sua missão - esse peso de toda esperança amorosa - e o Liberto procurou seu ninho ainda perdido no horizonte, onde duas pessoas dividirão seu destino final, e, por fim, juntos, farão outros suspiros nascerem quando sentados por aí provocarem outros corações a criarem asas.


!!!
(texto devidamente corrigido por minha advogada, pois ela não me quer preso acusado de assassinar nossa magnífica língua, hehehehe, beijos Maya, vc não tem idéia do quanto adoro ser corrigido, carinho esse como dar-me a mão para vencer o escuro.)
2:39 AM



MANUTENÇÃO NECESSÁRIA

orri feito um louco para dentro de uma caverna que levava a um vulcão interior, corri como louco para dentro daquele lugar onde todas as respostas aqueceriam os músculos de meu rosto, eu procurei embestado por aquele paraíso a me fazer respondido e justiçado, queria ver queimar juntos todos os meus ressentimentos e inimigos, todos numa só dose de franca justiça, e noutra, de pura crueldade contra meus princípios, queria uma pira gigantesca para onde eu mandaria quase todos que conheço,e tantos outros que só sei o nome, e muitas multidões de desconhecidos, para em meus vales ter somente eu e o rio, por onde navegaria procurando nas vegetações marginais o perigo de novos símbolos e lendas, onde minha vida que não veio comigo nessa desejada viagem poderia então ser descoberta, e nova, seria minha, minha vida, nova, como se queimado num vulcão todos os ressentimentos e inimigos, no meu vale, o rio ou meu coração só tem esse desejo.
7:41 AM



REVISÕES SINCERAS

e tempos em tempos todos nós refazemos a nossa tabela de valores, nesses dias de introspecção ou repentina descoberta acabamos por demarcar um limite, um ponto que identifica a sensação de tempo, e assim a idéia do que é passado e presente.

Recentemente ando muito taxativo, estado esse fruto de épocas maleáveis as quais não deram muito certo, pontencializado por uma natureza determinista e arrogante. Todo esse quadro perigoso colocou-me a afirmar o quê se solidificar como entendimento.

Mas os entendimentos são baseados em circunstâncias, ou seja, tempo e lugar, tornando minhas opiniões coisas voláteis e parciais, e assim sendo para todos os outros humanos que vivem comigo.

Em um contato recente com um universo muito diferente do meu, pude vislumbrar até agora o quanto essa solidificação pode ser comprometedora, e acabar por trancar a verdade no nosso medo de percebê-la, uma vez acontecendo isso, vestimos esse terror com a roupagem de outra verdade, abstrata ou fatídica, não abrindo-a a uma oportunidade de ser combatida pelo bom senso em um processo justo, a exemplo de um destes evoco a idéia de um longo tempo para maturação da idéia.

Depois de ter avançado bastante com meu vocabulário, também ter dito muitas coisas, depois de ter ido até assuntos os quais não valiam nada, descobri o quanto deixei para trás tudo, e uma resignação profunda foi se fazendo em mim tomando meus significados, deixando minhas afirmativas parecendo ecos de discursos pra lá de apostados, e provavelmente quase todos são artilharia recicladas, sem nenhum brilhantismo em seu valor.

Carrego um corpo que carrega uma só idéia: alguém. Esse corpo precisa de outro, para dar continuidade as coisas que já nem se quer mais existem, parece que o mundo dentro de mim já terminou, se eu quiser alguma outra coisa, terei que ir para dentro de uma pessoa, e com essa descobrir o que me falta, ou o que em mim sobra, não sei se estou pesado ou leve demais, estou perdido em alguns pontos que são sempre os mesmos, resistentes à tantas resignações, e provavelmente discursos que não foram ditos por falta de ouvidos, ou de coração.
9:48 AM



BALANÇA DE 'N' PRATOS

er uma pessoa de princípios tem um custo muito alto, acabamos por carregar daqui para qualquer situação uma estrutura muito grande e abstrata, levamos histórias, pessoas, promessas, tentativas, vontades, medos, coragens, doutrinas e tudo mais que conversa perigosamente com nosso espírito. Carrego uma estrutura pesada a qual não quero me desfazer. Estou sempre silenciosamente irritado com pessoas descompromissadas com o bom senso, todos os dias luto dentro de mim para conservar a chama democrática e o perdão contínuo aplicado como questão tópica em cada olhar, em cada cobrança e em cada coração que se aventura entre meus acontecimentos, e essa postura, essa ginástica moral e intelectual me faz muito cansado, tão cansado quanto é preciso estar para aceitar o mundo corrupto que vivemos e sucumbir a sua natureza, nesse ponto, já bem à beira de se trair, de preferir os processos suaves, preferir as mentiras, as omições e a resignação bruta, é nesse ponto que de joelhos eu ainda me pergunto por que levar essa balança de mil medidas à frente, por que ter uma condição servil diante de cada significado? Por que a liberdade é tão defendida por mim? Por que de repente não aceitar que também tenho caninos, que posso ser injustos, que vim ao mundo para derrubar outros, e fazer disso uma festa celebrando minha magnitude? Por que não separar o Gustavo, da estrutura que o leva? Ter princípios é complicado, pois eu tenho um mundo dentro de mim, onde ninguém entra sem o risco de minha humanidade vir a machucá-lo, ainda assim, mesmo diante dessa imensa verdade, fico envergonhado de não fazer o máximo para bem tratar o visitante, para assistí-lo com amor e deixar seus passos serem para onde quiserem ser, é complicado porque o meu coração sente o destroçar de si mesmo a cada movimento desses planetas que chegam dentro do ainda ser frágil que sou, é complicado porque valores meus são continuamente expostos à erosão inevitável de um olhar, esse que busca souvenires enquanto sorri para meu peito mostrando suas vidas expostas nos primeiros dentes. A escola da Liberdade fez uma obra incrível dentro do meu vocabulário, os meus assuntos tem portas e janelas na direção de todos os pontos cardiais, mesmo que o sol se ponha, há um que nasça dentro da mesma idéia, dentro do mesmo dia, dentro do mesmo valor, e isso é muito díficil de tolerar, tão grande é meu peso, que imagino agora onde coloco cada átomo do universo e vejo Deus na mesma dor de montanha, que recebe todos os dias a força destrutiva de estar sentado do lado de fora de si, sofrendo e admirando os que chegam, e sempre tentando ser o que é, mesmo quando montanha diante de certas nuvens é como colina, vago pelos passos de quem em mim entra, atrás da força que resiste para aceitar mais visitantes.


12:22 PM




Dê a outra face, repouse em conflitos
e ande sobre mares revoltos.
Eis a Liberdade.